FRASES

domingo, 10 de julho de 2016

Calculadora ou Calendário?

Um pequeno bastão de 10 cm de comprimento é um dos mais antigos artefatos matemático já encontrado, com data superior a 20 mil anos. O osso ishango1, como é conhecido foi descoberto pelo geólogo belga Jean de Heinzelin, nos anos de 50, na República Democrática do Congo. O artefato tem uma lógica inegável: A fila (b) contém os números primos entre 10 e 20, já a (a), é bastante consistente com um sistema de numeração com base em 10, uma vez que os entalhes são agrupados como 20 + 1, 20 - 1, 10 + 1, e 10-1. Finalmente, a linha (c) aparece para ilustrar o método da duplicação (multiplicação por 2) utilizado mais recentemente, na multiplicação egípcia.


  
                              Imagem da internet

O jornalista Alexander Marshack, defende a teoria que o bastão representaria um calendário lunar. A soma de cada uma das duas últimas colunas (11, 21, 19, 9 e 11,13, 17, 19) é igual a 60, isto é, dois meses lunares, enquanto a primeira coluna totaliza 48 traços, ou um mês e meio lunar. Quem, senão uma mulher manter o controle de seus ciclos iria precisar de um calendário lunar? Eram mulheres nossos primeiros matemáticos?


1 Ishango (referente ao nome do vilarejo onde foi encontrado)

sexta-feira, 6 de maio de 2016

6 DE MAIO - DIA DA MATEMÁTICA


sábado, 5 de dezembro de 2015

CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE ABAETETUBA PROMOVE A SUA V SEMAT


                                                                                       imagem: V SEMAT

Com o tema por uma revisão da licenciatura em matemática, o Campus Universitário de Abaetetuba promoveu nos dias 3 e 4 deste mês (dez/2015) a sua quinta edição da Semana da Matemática (SEMAT). A programação contou com palestras, minicursos e mesas redondas.

A convite da coordenação estivemos participando do evento como ministrante do minicurso “A animação 3D voltada para o ensino da matemática”.
Abaixo fotos do minicurso a animação 3D voltada para o ensino da matemática, ministrante prof. Jerriomar Ferreira.

                 

Fotos: Arquivo do autor

terça-feira, 14 de julho de 2015

Gamificação: saiba como essa técnica pode potencializar o ensino na sua escola

O que é a gamificação A gamificação, também chamada de educação gamificada ou gamification, é uma forma inovadora de ensinar e aprender através de jogos. Por meio de vários mecanismos como desafios, propostas lúdicas, mudanças de fase, premiações e rankings, a educação gamificada é uma ferramenta eficiente para reverter quadros de indisciplina, aumentar a atenção dos estudantes, promover a interação e engajamento na turma, elevar a autoestima e motivação dos estudantes, além de servir como base para a avaliação dos estudantes, pois os resultados dos games permitem a mensuração do desempenho de cada aluno. A educação gamificada torna o aprendizado mais prazeroso A utilização de jogos na educação é uma tendência que está revolucionando o ensino-aprendizagem e, sem dúvida nenhuma, a educação gamificada já é uma das abordagens pedagógicas mais promissoras da atualidade. Não dá para negar que os aplicativos, as plataformas e os jogos educativos potencializam o ensino e tornam o aprendizado mais prazeroso, o que aumenta consideravelmente a motivação para aprender. O jogo deve ser associado a outros métodos e recursos Apesar de a gamificação possuir um grande potencial para melhorar o ensino-aprendizagem, as metodologias tradicionais não devem ser abolidas. Pelo contrário! A exposição dos conteúdos, as avaliações orais e escritas, as pesquisas, a leitura, os debates e as apresentações dos alunos não perderam espaço. Elas devem ser associadas e complementadas pelo uso dos jogos. Lembre-se que em educação, equilíbrio é tudo! A gamification melhora a motivação do estudante É inegável que os jogos são estimulantes. Com seus desafios, rankings e prêmios, o aluno se sente motivado a superar os próprios limites, além de ser empoderado com um sentimento de autoconfiança e autoestima. Em outras palavras, ele se sente capaz. Isso não só aumenta o interesse nas aulas, como melhora a persistência e prepara os educandos para os desafios do mundo real.E aí, você está disposto a inserir a gamificação na sua escola? Faça isso com cautela e de forma contextualizada, pois os jogos na educação devem ir além de mero entretenimento. Não se esqueça de que os jogos precisam ser incluídos no plano pedagógico não como um pretexto para ocupar o tempo dos estudantes, mas como forma de enriquecimento. É preciso haver um propósito educacional claramente definido para que a educação gamificada obtenha êxito. Fonte:http://www.gestaoescolarsimplificada.com.br/inovacao/gamificacao-saiba-como-essa-tecnica-pode-potencializar-o-ensino-na-sua-escola/